Saúde Bucal.net

Você já deu sua escovadinha hoje?

  • Promovendo Saúde…

    Este espaço foi criado para promover a saúde bucal... num país de desdentados... quero com este espaço poder levar diversas informações sobre saúde , escovação, alimentação, sorrisos saudáveis com uma linguagem dinâmica e clara ... Obrigada pela sua visita e espero que seja de algum modo útil pra você! Volte sempre!
  • Dias sorridentes…

    fevereiro 2007
    S T Q Q S S D
    « jan   abr »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728  
  • Visitantes

    • 289,285 sorrisos saudáveis
  • Créditos

Archive for fevereiro \25\UTC 2007

Do que são formados os Dentes?

Posted by Drª Danny em fevereiro 25, 2007

estrutura dentesApesar de cada dente se desenvolver como uma estrutura independente e de serem formados tipos dentários morfologicamente diferentes, o processo de desenvolvimento do dente,denominado odontogênese, é basicamente o mesmo.

Os germes dentários que são aglomerações celulares (específicas para a formação dentária), começam a se desenvolver dentro dos maxilares da criança durante a gestação. Essa formação celular que mais tarde dará origem aos dentes começa a se desenvolver a partir do trigésimo sétimo dia de vida intra-uterina.

Estes germes são constituídos de vários tipos celulares, que vão originar tecidos diferentes que irão fazer parte da composição dental. É a partir do quinto mês de vida intra-uterina que inicia-se a calcificação dos dentes decíduos (dentes de leite) e entre o primeiro e segundo ano de vida calcificam-se os dentes permanentes.

Anatomicamente podemos dividir os dentes em coroa e raiz. A raiz é a parte do dente que fica dentro do alvéolo dental (osso). Já a coroa é a parte que nós vemos quando as pessoas falam, etc.

A coroa do nosso dente é formada por 3 tecidos diferentes. O mais externo é o esmalte que reveste o dente, conferindo proteção, rigidez e brilho ao mesmo.

O esmalte é um tecido extremamente duro (o tecido mais duro que existe no corpo humano), e o que confere esta dureza ao mesmo são os 97% de sais inorgânicos que o constituem (fosfato tricálcico, sais de sódio, potássio, carbonato de cálcio, etc). Sendo que os outros 3% são formados por substâncias orgânicas tais quais: água e proteínas.

Se furarmos o dente e penetrarmos no interior do mesmo, depois do esmalte encontraremos a dentina. A dentina é outro tecido que compõe o dente. Também trata-se de um tecido muito duro, formado por 70% de substâncias inorgânicas.

Além de menos dura que o esmalte a dentina apresenta no seu interior vário túbulos os quais são preenchidos por prolongamentos pulpares e líquidos. O que justifica a dor quando temos uma cárie ou outro problema.

Mais internamente vamos encontrar uma câmara preenchida por tecido pulpar (tecido conjuntivo rico em vasos sangüíneo e nervos), tecido este que é responsável pela nutrição do dente, sensibilidade e reparo do mesmo.

Na raiz temos o cemento ao invés do esmalte, o cemento também serve para proteger a raiz e para unir a mesma ao osso,através da inserção que se dá neste cemento de várias microfibras de tecido que são chamadas de ligamento periodontal. O cemento também é formado por tecido mineral e orgânico, no entanto é bem menos duro que o esmalte.

Anúncios

Posted in curiosidades | 10 Comments »

10 dicas para escolher seu Dentista

Posted by Drª Danny em fevereiro 20, 2007

290435

1-Na primeira visita ao dentista, observe com atenção desde a sala de recepção até o interior do consultório.
Fique atenta(o) aos aspectos relacionados à limpeza do ambiente; à esterilização do material; e ao uso de gorro, luvas, máscara e agulhas descartáveis. Muitas doenças podem ser transmitidas no consultório.

2- Ao passar pela primeira consulta, não se acanhe e peça todas as explicações sobre o tratamento que vai ser realizado em sua boca. É nessa hora que você vai sentir se o profissional é competente ou não. Se não se sentir segura(o), procure outro dentista.

3- Verifique se, no decorrer do tratamento, o profissional ensina como cuidar dos dentes para prevenir futuros problemas. Essa qualidade demonstra que ele se preocupa com a saúde bucal de seus pacientes e não está interessado apenas em ganhar dinheiro.

4- Repare na maneira como o dentista trata seus pacientes, funcionários e, também, na atenção que dispensa`as suas dúvidas. Se ele trata a todos com gentileza, é sinal que fará o mesmo com você.

5- O tempo de formado do profissional não é de vital importância, mas também conta pontos. Afinal, um resultado perfeito do tratamento é o que realmente importa.

6- Não procure um dentista priorizando apenas o lado financeiro.Quando o preço for muito alto, peça descontos e, se for muito baixo, desconfie.

7- Para que sua escolha seja definitiva e segura , deve-se consultar diferentes profissionais a fim de se obter diferenciados orçamentos, que podem ser cobrados ou não.

8- Fique atento(a) para não se deixar levar por propagandas enganosas. Afinal, publicidade não significa competência. O que deve ser levado em consideração é o currículo do profissional e os resultados do seu trabalho. Um bom dentista deve estar bem atualizado e freqüentar congressos para se especializar cada vez mais.

9- Observe a quantidade de tempo que o profissional reserva para cada paciente, e se, entre as consultas é feita uma correta limpeza do consultório.

10- Faça uma análise logo na primeira consulta se houve a preocupação do profissional quanto ao seu problema , ou simplesmente, se o profissional se restringiu a fazer o orçamento.

Posted in curiosidades, Dentes e cia | 12 Comments »

Mais sobre Hepatite…

Posted by Drª Danny em fevereiro 6, 2007

seringDoença pode ser evitada se as pessoas tomarem três doses de vacina

Por ser uma doença silenciosa, ou seja, manifestar-se num prazo de 20 a 30 anos, a hepatite B aterroriza não somente quem tem contato com a doença ou com o paciente, mas também os hepatologistas, que insistem nas possibilidades de prevenção da doença. Em decorrência da falta de informação, os brasileiros sequer conhecem o Programa de Hepatites Virais do Ministério da Saúde, implantado em 2002, que oferece a vacinação gratuita em postos de saúde para jovens até 19 anos. Esta e outras preocupações foram debatidas durante o 9º Simpósio Internacional de Terapêutica em Hepatite Viral, realizado em julho, em Salvador (BA).

Segundo Raymundo Paraná, hepatologista e coordenador do evento, a hepatite B tem uma diversidade regional, o que dificulta as formas de enfrentamento da doença. “Além disso, é muito comum a concentração do saber nas mãos de especialistas das regiões Sul e Sudeste, sendo que a doença é endêmica em outras áreas, especialmente no Norte do país.”

Atualmente, o hepatologista ressalta que há 25 mil pessoas com hepatite crônica em tratamento no país, sendo que a expectativa é de que 4 milhões de pessoas tenham a doença. Embora seja assintomática, o que deve ser observado são sinais como o escurecimento da urina, náuseas e olhos amarelados. “O vírus é curiosíssimo. No geral, a doença se instala, preservando a máquina celular do hospedeiro. O problema é que o fígado tolera o vírus durante décadas numa espécie de santuário genético”, explica. “Em determinado momento, o sistema imunológico acorda e começa a combater o vírus e, conseqüentemente, a lesionar o fígado.”

Paraná sugere que todas as pessoas façam exames de sangue para detectar se estão ou não com hepatite, porque se o resultado for negativo, a vacina, dividida em três doses, é totalmente eficaz. “Infelizmente, muitas pessoas acham que tomando apenas uma das doses estão imunizadas, o que não é verdade.” Entre as conseqüências, ele aponta a fibrose e, em casos mais graves, a cirrose crônica.

O tratamento é feito à base de medicamentos como os imunomoduladores (interferon ou interferon peguilado) ou os nucleosídeos análogos (lamivudina, adefovir e entecavir). “O entecavir se mostrou o medicamento mais adequado por apresentar um perfil maior de resistência. Em quatro anos de uso, não houve resistência e, a partir da segunda semana de uso, há redução das cargas virais. Apesar disso, ele não pode ser usado em pacientes que já tenham se submetido à lamivudina, porque causa resistência cruzada.”

Entre os fatores de risco, ele cita as relações sexuais sem preservativos, responsáveis por 70% dos casos, além do risco de contaminação por drogas injetáveis e inaláveis, tatuagens e tratamento dentário por pessoa não habilitada.

• Subeditora viajou a convite da Bristol-Meyers Squibb

seringa

Pesquisado do site Saude Plena

Posted in Aqui se fala em saúde | 1 Comment »

Assunto do mês…HEPATITE B

Posted by Drª Danny em fevereiro 1, 2007

fghepatitebNosso blog-site a partir deste mês será temático…Escolhemos a Hepatite B como tema para fevereiro…

Acho um tema importante de ser discutido já que mata mais que a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, AIDS…

Poucas pessoas sabem que são portadoras do vírus proliferando assim a doença.

De acordo com estudos internacionais, o vírus da hepatite B é 57 vezes mais potente que o vírus da Aids.

Conceito:

Infecção das células hepáticas pelo HBV (Hepatitis B Virus) que se exterioriza por um espectro de síndromes que vão desde a infecção inaparente e subclínica até a rapidamente progressiva e fatal.

Os sintomas:

São falta de apetite, febre, náuseas, vômitos, astenia, diarréia, dores articulares, icterícia (amarelamento da pele e mucosas) entre os mais comuns.

Complicações/Consequências:

Hepatite crônica, Cirrose hepática, Câncer do fígado (Hepatocarcinoma), além de formas agudas severas com coma hepático e óbito.

Transmissão:

Pelos seguintes líquidos corpóreos : sangue e líquidos grosseiramente contaminados por sangue, sêmem e secreções vaginais e, menos comumente, a saliva.

Tratamento:

Não há medicamento para combater diretamente o agente da doença, trata-se apenas os sintomas e as complicações.

Prevenção:

Vacina, obtida por engenharia genética, com grande eficácia no desenvolvimento de níveis protetores de anticorpos (3 doses). Recomenda-se os mesmo cuidados descritos na prevenção da AIDS, ou seja, sexo seguro e cuidados com a manipulação do sangue.

Fonte: http://www.portaldosmedicos.hpg.com.br

Posted in Aqui se fala em saúde | 10 Comments »